Ritual de Lua Nova em Aquário (11/2): Ancorar o Novo e Crescer como Mestre de Si

A lunação nos convida a perceber o que vamos nos dedicar, criando raízes nas nossas intenções e florescendo para o porvir
8 minutos de leitura
09.02.2021

Esta Lua Nova em Aquário (11/2) é a última lunação que acontece inteiramente dentro do ano astrológico que estamos vivendo. A próxima já tem parte de si em um novo ano astral. Viemos de um ciclo lunar iniciado com a energia de Capricórnio para olharmos para a matéria, o plantar e semear ideias. O que eu quero, o que me move, o que me motiva e o que eu faço para concretizar isso foram perguntas que nos acompanharam neste ciclo que fechou. 

Agora adentramos uma lunação Aquariana, signo de Ar, olhando para o mundo das idéias – com todas as dores e delícias que ele tem para nos trazer. Pois, se por um lado o ar traz mudanças e movimentos, ele também pode trazer bagunças e instabilidades. Neste movimento todo, ancorar o novo é a dica chave para esta lunação.

Como isso acontece a partir da Lua Nova em Aquário?

A Lua começa seu ciclo em Aquário, o visionário, cheio de ideias e pensamentos disruptivos do astral! Aquário (o arquétipo, signo) pensa no coletivo, nas conexões, no todo, nos ideais. Isso parece muito bom, né?

E é! Mas, se por um lado ele é idealista e tem ideias de vida grande – o que é super estimulante – por outro, muitas ideias podem trazer uma quantidade tão grande de informações que há boas chances de se perder nisso tudo. Ar é mente, e a instabilidade aqui é mental. É o ar virando vendaval, sabe? 

Lua crescente em gêmeos: alegria e leveza

Pois é. Mas não para aí, não… A lua cresce em Gêmeos, outro signo do Ar…. Neste caso, porém, temos uma espécie de suavidade deste Ar todo. Pois, enquanto Aquário é o rei dos ideais com articulação e seriedade, Gêmeos é aquele sujeito que gosta de muitas ideias, trazendo sempre alegria e leveza. A Lua Crescente em Gêmeos é um convite para encarar o mundo com mais respiro e sorriso no rosto. Porém, uma grande dica aqui é aproveitar essa leveza para se perguntar: “Ok, muitas ideias! Mas o que eu consigo ou quero aprofundar?” É interessante conectar a todos, mas você consegue desenvolver conversas profundas em algum lugar? 

Lua cheia em Virgem e minguante em Sagitário

É a raiz já nos chamando para o tal do ancorar; afinal, a Lua Cheia, o ápice da expansão,  será em Virgem, o signo de terra mais maleável do zodíaco. Virgem é terra com água, é como uma argila que, de forma gentil, nos convida a concretizar os ideais, finalizar, agir com perfeição no sentido de ser coerente com sua consciência. E fazer com maestria aquilo a que você se propõe. 

Este ciclo do convite para vivenciar a ação com perfeição segue sua dança para a minguante em Sagitário, o explorador, professor, que mergulha no mundo e descobre as novas informações com maestria. É o momento de ser mestre de si. Depois de tantos ideais, ideias e perfeição, o professor interno aparece para dizer que é fundamental ser mestre de Si. 

O que esperar desta lunação

De forma geral, o ciclo traz uma dança que começa com muitas ideias e ideais e que evolui nos convidando para entender verdadeiramente onde eu ajudo de forma concreta e o que eu faço. E, para isso, preciso sim estar centrado e me tornar mestre de mim. 

Estaremos em uma enxurrada de informações. De Ar! Então, nosso ritual é de centramento e enraizamento. E quem vem nos ajudar é uma linda planta: o cipreste! 

O cipreste é conhecido há muito tempo por seu eixo. Conífera, diz-se que sua madeira foi usada na arca de Noé pela capacidade que ele de não estragar, mesmo em contato com água. Sua medicina (óleo essencial) é do centramento e direcionamento de energia para um objetivo que esteja alinhado com sua verdade interior. É rei da disciplina, pois ajuda a manter o foco e não sair se perdendo por aí. 

Ritual para a Lunação que começa na Lua Nova em Aquário (11/2)

Nosso ritual desse mês será em 4 partes. Você pode fazer todas de uma vez na lua nova em aquário, imaginando cada uma das fases conforme e lua muda no céu. Ou, então, fazer cada parte do ritual conforme a lua muda de fase. O importante é que você faça as 4 partes, pois neste ritual nós seremos o cipreste e, conforme a lua dança no céu, vamos acessando novas partes desse cipreste dentro de nós. 

Parte 1 – Lua Nova: Criar raiz

Feche os olhos e se imagine em um campo bem verde e lindo. O céu está escuro, é lua nova, e a energia do ar de aquário começa a chegar. Muitas ideias, ventos, movimentos.  Conforme essa movimentação acontece no ar, você se imagina como um cipreste com suas raízes profundamente ancoradas no chão. Suas raízes são muito, muito fundas para dar conta de sustentar esse ser imenso. 

Sinta as raízes saindo da sola dos seus pés… Em pé, tome seu tempo para perceber como o que você acredita, seus ideias, suas visão de mundo se enraiza no solo. Por 5 minutos, em pé, respire pela sola dos seus pés e sinta a potência das suas raízes ancoradas no chão.  Quando der seu tempo, volte lentamente, com a sensação nítida de estar firme e ancorado no chão. Bem vindo de volta! 

Parte 2 – Lua Crescente: Ser tronco

Agora, feche os olhos e se imagine em um campo bem verde e lindo. Você agora é um cipreste novamente. O céu está um pouco mais claro. É lua crescente e a energia de movimento de ir e vir, ir e vir, ir e vir agita o ar no céu. Você sente essa energia e, ancorado das suas raízes, você agora é tronco. Sinta a firmeza ereta que é possível ter em seu corpo conforme você alinha sua coluna de forma firme, porém gentil.  Você é troco e o movimento que passa toca você, mas não o tira do eixo. 

Por 5 minutos, em pé, respire profundamente, sentindo seu corpo como um tronco do cipreste. E sinta a sua firmeza na vida.  Quando der seu tempo, volte lentamente, com a sensação nítida de estar alinhado com seus pensamentos. Bem vindo de volta! 

Parte 3 –  Lua Cheia: Ser galhos

Feche os olhos e se imagine em um campo bem verde e lindo. Você agora é aquele cipreste novamente. O céu está bem claro. É lua cheia e a natureza está em festa!  Sinta novamente toda a sensação de ser aquele cipreste enraizado, com um tronco forte e firme e que agora se projeta com toda sua potência com seus galhos abertos. Abra seus braços, sinta a firmeza e a potência que vem do seu coração e passa pelo seu ombro, até chegar nas suas mãos. 

De braços abertos, os galhos do seu cipreste interior são a máxima expressão da sua verdade, do seu coração. Tome um tempo nessa postura. Deixe seu corpo sentir a verdade do movimento, a beleza da perfeição de ser quem você é em sua máxima potência. Quando der seu tempo, volte lentamente, com a sensação nítida de estar alinhado com seus pensamentos. Bem vindo de volta! 

Parte 4 –  Lua Minguante: Ser folhar

Feche os olhos e se imagine em um campo bem verde e lindo. Você mais uma vez é aquele cipreste. Inteiro, de galhos abertos. O céu está começando a escurecer, e a energia que antes estava potente agora está se aprofundando. No céu, a energia se aprofunda, mas no  nosso eu-cipreste, sentimos a maestria em como as folhas se mexem com o vento em nossos galhos. Estamos no ápice da exposição – e o poder de ser e exalar nosso perfume de cipreste sabendo que somos de verdade.

Então, sinta suas folhas… São nelas que está toda a medicina do cipreste, que neste momento é também a sua sua medicina. Tome seu tempo sentido este aroma de si, do seu Eu mais verdadeiro e conhecedor de si. Sorria. Sinta seu aroma. Sinta… Deixe seu perfume medicinal se espalhar.

Quando der seu tempo, volte lentamente, com a sensação nítida de estar alinhado com seus pensamentos. Bem vindo de volta! 

Dicas para seu ritual da Lunação ser ainda mais potente

Para todos as partes do ritual, você pode potencializar a mentalização da seguinte forma:

1. Acenda uma vela antes de começar e, em seguida, firme a intenção daquela etapa do ritual (ou do ritual inteiro para quem fizer de forma integral). 

2. Você pode ter um caderno para escrever seus insights quando o ritual acabar. 

3. Se puder comprar um óleo essencial de cipreste para usar nos rituais e nos mês inteiro, maravilha.  Coloque 22 gotas do OE em 10ml de um óleo carreador (o óleo base para receber o óleo essencial. Pode ser semente de uva, gergelim, óleo de coco ou azeite). Passe um pouco da mistura nas mãos no momento do ritual ou diariamente. Esfregue uma na outra e respire por cerca de 10 segundos. Você também pode usar essa preparação  nas solas dos pés antes de dormir para trazer ainda mais ancoramento e firmeza.

Leia também