Ritual de Lua Nova (15/11): Reveja seu jeito de se relacionar

A chegada desta lua nova em escorpião nos apresenta a possibilidade de transformar a maneira como conversamos. Ritualize essa chegada trazendo mudanças na forma de dialogar
7 minutos de leitura
13.11.2020

Respire no saquinho e conte até 200: essa lua nova fala sobre relacionamento e vem temperada de pitadas de Marte. Ou seja: muita coisa para rever, muita energia para agir e com altíssimo potencial explosivo…

A Lua Nova é um ciclo novo que, quando olhada em conjunto com as próximas luas, crescente, cheia e nova (além de outros aspectos do céu), nos conta como será a regência das forças do céu que interferem sobre todos nós aqui na Terra. Portanto, para falar sobre Lua nova, precisamos olhar para ela dentro deste contexto mais amplo que é de toda a lunação seguinte. Pois é um mapa do fluxo do céu que nos dá dicas importantes de aspectos que vamos sentir por aqui, entende? E a ideia é a de navegar melhor, uma vez que a gente entende para onde vai o rio. 

Este próximo ciclo começa em Escorpião (15/11) e segue crescente em Aquário (22/11). Ou seja: seremos levados em um movimento que nasce nas profundezas de nós como indivíduos (Escorpião) até o se relacionar com o coletivo (Aquário). E isso passa por relacionamento e comunicação, uma dança sobre o aprender a escutar e a falar com o outro. A ouvir em vez de impor minhas ideias. Acima de tudo, a aprender a co-criar!

Lua Nova em Escorpião nos chama a ouvir dentro

E como isso acontece? Escorpião é o nosso grande fundo do mar, um universo de águas profundas onde muitos seres mágicos e desconhecidos habitam. Quais seres são estes? Nossas emoções, sentimentos, crenças e padrões…. Conhecer estes aspectos é um chamado para aprendermos a nos relacionar com nós mesmos primeiro para então ir para fora e nos relacionar com o outro a partir de um lugar mais conhecido dentro.

É um mergulhar lá no fundo para, quando voltar à superfície onde está o coletivo, a troca poder ser de um novo lugar. E, convenhamos: isso é algo SU-PER necessário na humanidade. Mas, cuidado: relacionamento é um dos lugares mais sensíveis e doloridos de cada um de nós. E o que a gente não muda de forma amorosa agora, virá de forma mais explosiva logo à frente.  Isso não acontece por mal, é um chamado para que tenhamos mais  flexibilidade e adaptação, como nos contará lá na frente o eclipse de lua cheia em Gêmeos (30/11). 

Por isso, como nos centrar e abrir espaço para escutar e compreender o que outro está falando de forma mais livre dos meus julgamentos e identificações? 

Ritual de Luva Nova em Escorpião (15/11)

Nosso ritual será sobre reescrever diálogos e situações. E sobre plantar essa sementinha de intenção para todo o ciclo das próximas 2 semanas. Então, separe um momento confortável, quieto e aconchegante onde você não seja interrompido por aproximadamente 30 minutos

Você vai precisar de

Vela
Papel
Lápis
Música
calma
Incenso ou óleo essencial de lavanda
(opcional, para complementar seu ritual)

Como fazer seu ritual de Lua Nova

1. Primeiramente, acenda a vela e coloque a intenção de que ela te guie com sua luminosidade até os aspectos da sua comunicação e relação com o outro que precisam ser vistos e percebidos. Respire profundamente e visualize um mergulho dentro de você, como um mergulhador descendo até o fundo do mar…

2. Então, respire lenta e profundamente neste processo e, com a chama da sua vela (sua consciência), vá nadando até encontrar algo. Este algo pode ser uma crença, uma memória ou um diálogo/discussão com outra pessoa, por exemplo. Enquanto vê a cena, é importante que você observe a si, outra pessoa e um aspecto da comunicação que não foi muito virtuoso. 

3. O convite agora é abrir um espaço amoroso para olhar essa situação de um outro lugar. Como se fosse uma peça de teatro, veja a situação sem se identificar com ela. Você pode até sentir e/ou se emocionar, mas não se apegue ao drama da peça de teatro. E com a vela da consciência, coloque mais mais clareza nessa situação.  Tente ver por trás das cortinas dos personagens, olhando a si mesmo e ao outro como se pudesse ver a profundeza de seus oceanos e, com isso, compreender amorosamente como e onde as dinâmica travaram. Se fosse possível ver seus medos, sua rigidez, seus apegos e crenças nesse diálogo, quais seriam eles? 

4. Escreva os insights no papel. Agora, deste lugar que olha com abrangência, como seria abrir espaço para sentir que o outro eventualmente também trocou contigo de um lugar com medos, crenças e dores? Neste lugar de mais empatia e menos identificação, você consegue ver um potencial novo caminho para essa situação ou diálogo? 

5. Respire profundamente e abra seu coração. E, assim, crie espaço para um novo olhar dentro dele. Em seguida, a partir deste centro calmo e amoroso, tente sentir/ver/perceber de que outra forma essa situação poderia ter se desenrolado. Isso pode se apresentar como um insight ou como uma história que acontece diante dos seus olhos da Alma. Por isso, sinta, veja… 

6. Sentiu? Pois agora, no papel, conte essa história novamente, usando do amor, da compreensão, da autopercepção e da capacidade de sentir e entender o outro e veja qual rumo a conversa toma. Assim, transforme essa história e consolide nessa escrita os aprendizados sobre si (e suas formas de se relacionar, agir e comunicar) e como isso chega até o outro. 

7. Assim que acabar a história, agradeça. Em seguida, agradeça com amor a pessoa que te ajudou a ver algo em si mesmo e que agora você pode transformar. Agradeça a você pela coragem de ir até o mundo subaquático. E então, aos poucos, vá respirando e voltando à superfície. Sorria pela mudança e plante e intenção de, com este olhar de fora do palco, observar todas as suas relações neste novo ciclo de lua nova.  A lua trará várias oportunidades de trabalhar esses aspectos e, com sua  percepção expandida, é possível transformar os caminhos dos diálogos enquanto eles estiverem acontecendo, e ter conversas com desfechos muito melhores.

8. Você pode queimar o papel na vela e transmutar a energia… ou então deixar ele se dissolver nas águas de uma bacia que depois você rega a terra. Deixe ir, e faça isso com quantas histórias você quiser.

Por fim, lembre-se: este lugar está dentro de você e você pode voltar lá sempre que precisar. 

Um bom ciclo novo para todos nós!

Leia também


Tania Zaccharias

Tania Zaccharias (@taniazaccharias) é herbalista, reikiana, marmaterapeuta, aromatologista e estudante da espagiria (farmácia egípcia). Há 11 anos pesquisa pesquisadora e vivencia as sabedorias ancestrais e medicinas naturais. É criadora da IYAMI, um laboratório herbal que resgata os saberes antigos na arte de cuidar e evoluir com o Ser.

Mayra Nogueira Machado

Mayra Nogueira Machado (@mayra.nog) é astróloga, doula, taróloga e thetahealer, formações que escolheu para lapidar as sabedorias naturais que (re)descobriu nesta jornada. Desde pequena mergulha nos conhecimentos astrológicos para compreender as leis que regem a natureza.