Práticas para Manter o Equilíbrio Emocional

Ficar recluso é um desafio que requer cuidados diários para se preservar a saúde durante a pandemia. Compartilhamos dicas que trazem mais bem-estar físico e emocional
7 minutos de leitura

“O mundo mudou, e aquele mundo (de antes do coronavírus) não existe mais”.
O diagnóstico do virologista Atila Iamarino, em entrevista recente à BBC News Brasil, nos atinge com a assertividade de um bisturi. A ilusão de que conhecíamos a realidade e tínhamos algum controle sobre ela nos foi arrancada. Ficamos nus de repente. Um baque que estamos, cada um à sua maneira, tentando processar.

Do dia para a noite, nossa mente se viu sem referências; o equilíbrio emocional se abalou; o corpo, confinado, apresentou demandas inéditas para a maior parte das pessoas. É tudo muito delicado. Para dar conta da sensação de desamparo suscitada pela crise planetária, vamos ter que nos cuidar. Com carinho, paciência e uma disciplina que seja gentil, porém efetiva. 

“Há uma tensão subjacente que drena a nossa energia. Por isso, é tão importante focar no que traz bem-estar”, orienta a médica, psicoterapeuta e consteladora sistêmica, Cristiane Marino.

É hora de desacelerar e não se cobrar desempenho

Novas rotinas nos foram impostas por um cenário externo avassalador. Não podemos nos esquecer disso. Não é hora de nos cobrar máxima organização e performance. Seria injusto conosco. “Mesmo quem já trabalhava em home office vai notar que não terá o rendimento de antes. Isso é normal”, tranquiliza a psicoterapeuta, para quem busca mais equilíbrio emocional nesse tempo.

Justamente por ser drástico, o momento pede que sejamos brandos com nós mesmos. “Precisamos de tempo para nos adaptar”, enfatiza Cristiane, que defende, com contundência, o direito à pausa nesse período de angústia e desgaste em tantos níveis. “Está tudo bem em não fazer nada em alguns momentos”, pondera.

A seguir, a especialista recomenda 10 cuidados importantes para que a saúde física e mental se fortaleça em meio à pandemia.

Equilíbrio Emocional em Tempos de Coronavírus - Reflita: na minha vida, o que está ao meu controle e o que não está?

1. Preserve a rotina 

Tente manter a rotina diária o mais próximo possível da normalidade: isso ajuda muito a trazer mais equilíbrio emocional em meio a tanto caos. Principalmente os horários de dormir e acordar, reservando uma quantidade de horas de sono razoável para que você se sinta revigorado.

2. Brinque com as crianças

Se você tem crianças em casa, procure manter o horário delas como se estivessem na escola. No período equivalente ao da aula, a dica é envolvê-las em alguma atividade didática. Mas também abra espaço para o brincar. Com crianças menores, uma ideia é reservar 40 minutos antes do almoço para atividades lúdicas: esconde-esconde, amarelinha, pega-pega, enfim, brincadeiras que exijam movimentação. Depois da refeição, elas provavelmente vão tirar um soninho e os pais também poderão descansar. Com isso, os pequenos tendem a dormir melhor à noite.

3. Tome sol

Exponha-se à luz solar de 20 a 30 minutos por dia, mesmo que seja através de uma janela. “O sol ajuda a regular o humor, a aumentar a produção de vitamina D, diretamente ligada à melhora da imunidade, e também estimula a produção de melatonina para se ter uma boa noite de sono”, esclarece Cristiane.

4. Faça atividade física

Atividade física, acredite, tem tudo a ver com equilíbrio emocional. “No confinamento a movimentação corporal é muito menor, o que contribui para o aumento da ansiedade, pois o corpo foi feito para se movimentar”, explica Cristiane. No entanto, segundo a médica, não basta só se alongar. É preciso transpirar. “As pessoas estão ficando muito ansiosas. Consequentemente, há maior produção de adrenalina e cortisol, hormônios do estresse. E a gente consegue liberar essa carga transpirando, ou seja, fazendo uma atividade física que aumente a frequência cardíaca e estimule a produção de endorfina, que é o hormônio do bem-estar”. O ideal é revezar, ela sugere. Num dia yoga ou tai chi chuan, no outro uma atividade física mais intensa, como ensinam inúmeros vídeos divulgados nas redes sociais. 

5. Cuide da higiene mental

É tentador acompanhar o noticiário a cada cinco minutos. Essa vigília nos dá a sensação de que teremos mais recursos para lidar com a pandemia. Mas tome cuidado com os excessos. Sobretudo, evite os veículos de comunicação alarmantes. Procure apenas informação em fontes confiáveis e não fique o dia inteiro lendo notícias. Seja um bom filtro para si mesmo. Também não se emaranhe em longas discussões nas redes sociais. Isso só vai aumentar o desgaste. 

6. Ria para descontrair

“Pesquisas comprovam que rir de cinco a dez minutos por dia ajuda a diminuir inflamações crônicas, melhora o sistema imunológico e reduz o estresse”, afirma a médica. Então, assista a algo engraçado para relaxar um pouco. Curta os memes que pipocam por aí. Rir faz a gente respirar melhor, sabia? Portanto, não se sinta de forma alguma culpado por reservar um tempinho para a descontração.

7. Pare para respirar

Focar na respiração, pelo menos, três vezes ao dia, é fundamental. Por isso, pare o que estiver fazendo, por cinco minutos que seja, e silencie. “Essas pequenas pausas ajudam muito a recuperar a energia e servem tanto para quem está em home office como para aqueles que estão lidando com o acúmulo de tarefas domésticas”, observa Cristiane.

8. Aprenda algo novo

Adolescentes e jovens, que não trabalham, ou aqueles que estão de fato com bastante tempo livre, podem aproveitar a quarentena para criar um projeto ou aprender algo novo. Um desafio que exija comprometimento, sabe? Pode ser algo que você sempre quis fazer e não tinha tempo, como, por exemplo, aprender um idioma, um instrumento musical, escrever um livro ou se dedicar ao trabalho de conclusão de curso. O envolvimento com esse tipo de tarefa mantém a mente focada e motivada. Na nossa Agenda YAM, compartilhamos uma programação valiosa para quem pode se dedicar ao aprendizado.

9. Ocupe as mãos

Se sentir que o mental está tumultuado, faça alguma atividade manual. Pintar, desenhar, bordar, cozinhar novas receitas, cuidar das plantas ou da higiene pessoal, enfim, o que sentir que trará um pouco de leveza ao seu dia ou que seja um meio para expressar o que se passa aí dentro. 

10. Pegue leve com você mesmo

Aqui, não é prática, mas um alerta essencial: Não se cobre produtividade e desempenho. “A alteração brusca da rotina produz estresse e se soma à tensão psicológica gerada pela pandemia. Essa conjuntura rouba a concentração e a capacidade de nos manter produtivos como antes”, esclarece Cristiane. Assim, haverá dias em que o trabalho vai render mais do que em outros. Tudo bem. Levar isso em conta faz parte dessa busca por equilíbrio emocional. Na hora da crise, lidamos com o possível, não com o ideal.  Também não se obrigue a fazer um monte de atividades gratuitas que estão sendo oferecidas nas redes sociais. ”Isso cria outra demanda por fazer coisas no tempo livre e pode ser uma fuga para não se interiorizar, silenciar e refletir”, alerta.


Downloads

Preview do poster Equilíbrio Emocional em Tempos de Coronavírus - o que está ao meu controle? Disponível para baixar nas versões de impressão e envio por Whatsapp

Baixar Poster (para imprimir)
Baixar Flyer (para compartilhar no Whatsapp) ▲