9 Movimentos Ativistas Para Você se Engajar

O desejo de mudança cresce a cada dia e o mundo precisa das suas melhores energias. Então, conheça e escolha as causas que conversam com você e conecte-se com pessoas que estão fazendo a diferença
11 minutos de leitura
07.07.2021

O progresso um dia sonhado pela humanidade fechou os olhos para o planeta. Séculos de exploração da natureza se passaram e cá estamos nós, em plena crise climática, encarando o abismo da incerteza: Qual será o nosso futuro?  Ao mesmo tempo, milhares de pessoas no mundo todo em diversos movimentos ativistas não só desejam e acreditam na mudança, como participam ativamente para que ela se torne realidade. Se você olhar em volta, descobrirá uma porção de gente que enxerga os problemas, se aflige, mas não se abate. Ao contrário, direciona suas melhores energias para as possibilidades de transformação individual e coletiva. É ou não é um convite e tanto?


Conheça, a seguir, nove movimentos ativistas que atuam pelo mundo e no Brasil mobilizando pessoas, protegendo o meio ambiente, salvando os animais e cuidando para que a Terra seja uma casa justa, sustentável e amorosa para todos nós. Aproveite para escolher a causa que ecoa suas inquietações e, do jeito que for possível para você, faça parte da regeneração do nosso planeta. 

imagem de campanha do Greenpeace, onde um pássaro tem um canudo de pástico na boca
Imagem de campanha do Greenpeace Canadá por uso consciente de plástico

Greenpeace

A especialidade do movimento internacional, criado em 1971 e presente em mais de 55 países, é se fazer ouvir das formas mais criativas e pacíficas possíveis. Os ativistas do Greenpeace investigam ameaças ao meio ambiente, denunciam e impedem crimes ambientais, confrontam autoridades, sacodem a sociedade para que a mudança aconteça e ainda estudam soluções para problemas inadiáveis. Além do respeito aos animais e por todos os ecossistemas da Terra, eles lutam por energias limpas, cidades e relações mais humanas, alimentos saudáveis e acessíveis. Qualquer pessoa pode colaborar com essas causas. Além de apoiar as ações que circulam pelas redes sociais, assinar petições ou atuar como voluntário, é possível fazer doações para os variados projetos encabeçados pelo Greenpeace, tais como iniciativas para salvar a Amazônia, combater a emergência climática e proteger a biodiversidade no nosso planeta. 

@greenpeacebrasil
greenpeace.org/global

Homem segura cartaz em manifestação pelo clima, com os dizeres: "Save the Earth"

Extinct Rebellion

Atuante em 80 países, o movimento que exalta a rebeldia do bem nasceu em 2018, no Reino Unido. Inspirada em grandes protestos como Occupy, o movimento de independência de Gandhi, na Índia, as Sufragistas e Martin Luther King, a Extinction Rebellion busca apoio mundial em torno de um senso comum de urgência para combater o colapso climático. Mas não pense em quebradeiras. Ela se vale de ações não-violentas e da desobediência civil para persuadir governos a atuar de forma justa em relação à emergência climática. Os ativistas exigem que nossos governantes falem a verdade a respeito da crise planetária, ajam urgentemente para proteger a biodiversidade e reduzir as emissões de CO2 até 2025 e ainda sejam orientados por uma assembleia de cidadãos comprometidos com a justiça ambiental. Além de contribuir com doações e endossar campanhas online, você pode encontrar um grupo de “rebeldes” perto de você. A proposta é que vocês se encontrem, tenham ótimas ideias e as coloquem em prática, encorpando a batalha pela manutenção da vida na Terra. 

@extinctionrebellion.brasil
rebellion.global

Vaca olha pra câmera, atrás dela um fundo de céu

Mercy for Animals

A exploração de animais para alimentação, além de impor rotinas sofridas a esses seres, tem contribuído para o desmatamento e emissão de gases de efeito estufa. Não à toa, a Mercy for Animals é um dos movimentos ativistas que tem como objetivo erradicar o atual sistema alimentar e substituí-lo por outro que seja não apenas gentil com os animais, mas essencial para o futuro do planeta. O movimento promove ações corporativas e legislativas, além de programas de políticas alimentares. Também denuncia práticas cruéis e divulga conteúdos que ajudam as pessoas a repensarem seus hábitos alimentares.

`Se quiser fazer parte do clube de membros, você pode contribuir com uma doação mensal ou então ajudar de forma pontual. E, claro, você também pode se juntar ao time de voluntários, seja o voluntariado regional, que capacita quem deseja atuar na sua cidade, sejam os “Heróis pelos Animais”, encarregados de pressionar as maiores empresas do ramo alimentício no país a extinguirem práticas danosas aos animais em suas cadeias produtivas. 

@mfa_brasil
mercyforanimals.org

Peixes nadam no mar, em volta de um aglomerado de plásticos

Sea Shepherd

Entre movimentos ativistas pela causa marinha, os animais marinhos estão sob a atenta e cuidadosa guarida do movimento Sea Shepherd, criado em 1977 e atuante em mais de 20 países. Os ativistas atuam junto a governos e agências de direito internacional, ajudando-os a detectar e capturar iniciativas criminosas ligadas à pesca ilegal ou irregular. Segundo a organização, essa realidade, que se desenrola distante dos olhos do público, tem devastado ecossistemas marinhos numa velocidade alarmante.

Como o grupo alerta, se a vida nos oceanos morrer, todos nós morreremos. Daí a importância da fiscalização rigorosa da equipe de voluntários, que cruzam os oceanos e freiam atividades danosas aos animais e a seus habitats. Ao ajudar financeiramente o movimento, você está garantindo que esse trabalho fundamental para o equilíbrio planetário continue em curso, pelo bem da vida marinha e de todos nós. E, claro, ao reduzir o consumo de peixes e frutos do mar na sua alimentação você desestimula o comércio desse tipo de carne e preserva a existência dessas formas de vida.

@seashepherdbrasil
seashepherd.org

Cacho de banana com flor em floresta tropical

Imaflora

ONG brasileira, fundada em 1995, o Imaflora se dedicada a ações que fomentem a economia de floresta em pé. Isso significa unir a produção com a conservação, principalmente através da valorização das atividades agroextrativistas sustentáveis das comunidades rurais e florestais, populações tradicionais, indígenas, quilombolas e agricultores familiares atuantes em cinco biomas brasileiros. São esses trabalhadores que ajudam a manter a floresta erguida e, consequentemente, o carbono armazenado na vegetação – fator crucial para a redução da emissão de gases de efeito estufa. O Imaflora atua ainda como certificador FSC, principal sistema de certificação florestal do mundo. Também se destacam projetos como o Atlas da Agropecuária Brasileira, plataforma digital que reúne dados sobre o setor, e o Origens Brasil, sistema de garantia que traz transparência às cadeias de produtos florestais. 

@imaflorabrasil
imaflora.org/

Toncos de madeira empilhados

Instituto Socioambiental

Enquanto o planeta atravessa dias de intensa destruição, mentes lúcidas constroem soluções sustentáveis para as demandas ambientais, sociais e culturais do Brasil. É assim que o Instituto Sócio Ambiental (ISA), um dos mais importantes movimentos ativistas brasileiros, vem somando forças desde sua fundação, em 1994. A organização é referência na pesquisa, difusão e documentação de informações socioambientais, além de monitorar e desenvolver alternativas às políticas públicas. Em suma, o ISA batalha para que os direitos humanos e ambientais não sejam esmagados pela ganância e pelo descaso do Poder.

O Programa Xingu, por exemplo, zela pelo corredor de áreas protegidas de 28 milhões de ha que inclui Terras Indígenas e Unidades de Conservação, ao longo do Rio Xingu, ao passo que o Programa Vale do Ribeira contribui para a construção de um modelo de desenvolvimento regional pautado na riqueza socioambiental da Mata Atlântica. Vale a pena acompanhar os informativos da organização e se manter conectado a essa fonte confiável de conhecimento e ações certeiras. 

@socioambiental
socioambiental.org/pt-br

@leylladiva veste camiseta com a foto de um filhote de cachorro ao lado de um filhote de porco, com os dizeres: "Se você ama um, por que come o outro?"
Foto: Divulgação SVB no Instagram (na foto, @leyllahdiva)

Sociedade Vegetariana Brasileira

Desde 2003, a Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB) se mobiliza para mostrar às pessoas que a alimentação vegetariana tem muitas facetas. Além de ser uma escolha ética e saudável, também é sustentável e socialmente justa. A organização se vale de campanhas, programas, convênios, eventos, cursos, pesquisa e ativismo para levar conscientização à sociedade, desfazer os mitos que cercam o tema e, principalmente, enaltecer os benefícios do vegetarianismo. Um objetivo central é aumentar o acesso da população a produtos e serviços vegetarianos. Em 2018, por exemplo, foram servidas 67 milhões de refeições vegetarianas apenas como resultado de um dos programas da organização. A SVB também foi reconhecida pela Animal Charity Evaluators como uma das ONGs mais eficazes do mundo. Você pode encontrar um grupo em sua localidade e atuar como voluntário. Também pode ajudar pesquisando, criando, validando e publicando receitas vegetarianas ou traduzindo palestras, vídeos e artigos relevantes para a causa.

@sociedadevegetariana
svb.org.br

Vegetais em caixotes de feira

Xepa Ativismo

Também há movimentos ativistas pelo direito à comida e as cozinhas coletivas das casas Fora do Eixo e Mídia Ninja viram surgir uma rede de ativismo que luta pela democratização do alimento e o combate ao desperdício. Pode parecer óbvio, mas muita gente se esquece de que comer é um direito e que a alimentação é uma ferramenta potente de transformação social. Por isso, a Xepa Ativismo se conecta com redes, coletivos e projetos que trabalham pelo acesso de populações em situação de vulnerabilidade a algo vital. 

Também apoia produtores orgânicos, experiências de agroflorestas, cooperativas de extrativismo sustentável e projetos de autonomia alimentar nas periferias. Para conhecer melhor a atuação dessa frente, busque por iniciativas como: Cozinha de Combate, #pratodascomunidades, Lute como quem cuida, MST e MPA — Movimento dos Pequenos Agricultores. Além disso, fique de olho nas pautas sobre o Veganismo Popular para entender como e por que uma relação mais ética com os animais e uma alimentação saudável estão ao alcance de todos. E, claro, participe das campanhas divulgadas no instagram. 

@xepaativismo
midianinja.org/author/xepaativismo/

Foto: Divulgação APIB no Instagram

Articulação dos Povos Indígenas do Brasil 

Referência nacional em defesa dos povos indígenas no Brasil, a APIB foi criada pelo movimento indígena no Acampamento Terra Livre de 2005. Anualmente, o acampamento acontece como forma de tornar visível questões relacionadas aos direitos indígenas, além de reivindicar ao Estado suas demandas e necessidades – cada vez mais em risco pela falta de políticas governamentais realmente compromissadas com a vida dos povos originários. A APIB também concentra as organizações regionais indígenas, com o propósito de fortalecer a união de todos os povos e mobilizar ações em defesa dos direitos e reivindicações indígenas. Nas redes, a articulação também faz denúncias contra os indígenas, informa a situação de medidas provisórias, projetos de leis e outros em curso, engaja a população no entendimento da causa e traz visibilidade para uma luta tão urgente e que precisa, cada vez mais, ser fortalecida por todos. Atualmente, você pode fazer doações para o Acampamento Levante pela Terra, além de apoiar e fortalecer o Plano de Emergência Indígena, para o enfrentamento da Covid-19. Você também pode entrar para o canal da APIB no Telegram para receber conteúdos divulgados pelo movimento.

@apiboficial
apiboficial.org

Leia também